Vitória Sobre o Desequilíbrio Emocional

522Texto: 1 Rs 19.1-18

Introdução
> Breve histórico da vida de Elias até este ponto de sua vida.
> Falar sobre como Elias chegou ao ponto de ficar depressivo.

Transição
> O desequilíbrio emocional tem suas causas, seus sintomas e existem formas de vencê-lo.
> O texto nos mostra alguns ensinos sobre causas, sintomas e formas de vitória sobre o desequilíbrio emocional:

I.) O desequilíbrio emocional pode surgir como consequência de ameaças e oposição – v. 1,2
> A ameaça e a oposição da rainha Jezabel levaram Elias a um processo depressivo.
> Jesus soube como lidar com a pressão da oposição e das ameaças. Nem todos estão suficientemente protegidos emocionalmente para saber lidar com esses desafios.
> Precisamos aprender a proteger nossas emoções contra ameaças e oposição!

II.) O desequilíbrio emocional se manifesta através de vários sintomas – v. 3-14
> Medo – v. 3
> Fuga – v. 3,4 (Deserto é um símbolo de aridez, inclusive emocional)
> Interrupção da normalidade, da rotina diária – v. 3 (Deixou o seu moço em Berseba)
> Ausência do prazer de viver – v. 4 (Moisés, Jó e outros homens de Deus também pediram a morte)
> Alteração do sono e do apetite – v. 5-8
> Isolamento – v. 9 (Caverna)
> Desânimo, lamentação, autocomiseração – v. 10
> Falta de sensibilidade espiritual – v. 11-14
– Elias aprendeu que o Senhor não é um Deus de espetáculos. Às vezes a obra dEle é experimentada na simplicidade […] Deus estava operando na vida de muitas pessoas!
– Mesmo depois de o Senhor se revelar Elias continuava com o mesmo discurso!

III.) O desequilíbrio emocional é vencido quando tomamos consciência da missão, do propósito e dos planos de Deus para nós – v. 15-17
> Deus levantou Elias daquele momento de depressão mostrando-lhe missões específicas, mostrando-lhe Seus propósitos e planos para a vida do profeta.
> Deus tem uma missão para cada um de nós. Ele tem propósitos e planos específicos para as nossas vidas. Busquemos conhecê-los e saiamos a conquistá-los.
> “O que fazes aqui Elias?” Saiamos da caverna e sigamos para cumprir os propósitos de Deus para nós!

IV.) O desequilíbrio emocional é vencido quando Deus nos mostra que Ele está agindo, ainda que os nossos olhos naturais não estejam conseguindo perceber a ação de Deus – v. 18
> Elias pensou que só ele se mantinha fiel ao Senhor. Pensou que ninguém mais estivesse abrindo o coração para o agir de Deus. No entanto estava enganado. Havia ainda sete mil que não tinham se dobrado diante de Baal. Ainda que Elias não estivesse percebendo, Deus estava agindo!
> Ainda que os nossos olhos naturais não estejam conseguindo ver o agir de Deus, Ele está agindo! E esta convicção nos leva a vencer o desequilíbrio emocional!

Pr. Ronaldo Guedes Beserra em 31.03 e 05.04.2016

Publicado em Esboços de Sermões - Saúde Emocional, Esboços de Sermões - Sermões Expositivos | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

Causas e Consequências do Desequilíbrio Emocional

mujer-enferma3Texto: Nm 13, 14 – ler inicialmente Nm 14.1

Introdução
> Aprender a manter o equilíbrio emocional é algo extremamente importante em nossas vidas.
> Precisamos depender de Deus para alcançar o equilíbrio emocional.
> Problemas emocionais podem gerar sérias consequências, inclusive de ordem física.

Transição
> O desequilíbrio emocional tem várias causas e consequências.
> O texto nos traz alguns ensinamentos através dos quais podemos aprender sobre algumas causas e consequências do descontrole emocional.

I.) O desequilíbrio emocional é causado pela falta de fé nas promessas de Deus – Nm 13.1-3,25-33
> A falta de fé dos dez espias gerou um desequilíbrio emocional neles mesmo
> A falta de fé e o desequilíbrio emocional dos dez espias influenciaram toda a congregação de Israel
> Quando deixamos de crer que Deus está cuidando de nós (Mt 6.25-33), de que Ele está no controle de nossas vidas (Rm 8.28), ficamos sujeitos ao descontrole emocional!

II.) O desequilíbrio emocional é causado pela maneira como reagimos àquilo que ouvimos de outras pessoas – Nm 14.1
> Devemos evitar ouvir o que não edifica ou buscar interpretar os fatos a partir de uma perspectiva de fé!

III.) O desequilíbrio emocional gera reações perigosas – Nm 14.2-4
> Murmuração – v. 2 a
> Palavras insensatas – v. 2 b
> Questionamento dos caminhos de Deus – v. 3 a
> Consideração de ações desesperadas – v. 3 b, 4
> Ideias criminosas – v. 10

IV.) O desequilíbrio emocional gera desgastes naqueles que procuram se manter emocionalmente equilibrados – Nm 14.5,6
> Moisés, Arão, Josué e Calebe foram afetados pelo descontrole emocional dos israelitas!

V.) O desequilíbrio emocional nos impede de ouvir bons conselhos – Nm 14.7-10 a
> A pessoa que está descontrolada emocionalmente não consegue se acalmar para ponderar boas orientações e conselhos! Não controla suas emoções, mas é controlado por elas!

VI.) O desequilíbrio emocional pode trazer consequências tristes e duradouras – Nm 14.10-38
> Deus não destruiu o povo naquele momento, pois ouviu a intercessão de Moisés – v. 10-19
> Todavia, toda aquela geração morreu no deserto – v. 29
> Ao invés de entrarem na Terra Prometida naquele momento histórico, tiveram de esperar mais 40 anos para o cumprimento da promessa de Deus – v. 34
> Aqueles que inflamaram negativamente ao povo morreram de praga – v. 37

Pr. Ronaldo Guedes Beserra – SP, 23.03.2016.

Publicado em Esboços de Sermões - Saúde Emocional, Esboços de Sermões - Sermões Expositivos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Deus Abre as Portas da Prisão!

maxresdefaultTexto: Atos 16.16-40

Introdução
> Elucidar o contexto dos acontecimentos (v. 16-24): chegada da equipe missionária a Filipos, a cura da jovem com espírito de adivinhação, a reação dos seus donos e de toda a cidade, a reação das autoridades, os açoites e a prisão de Paulo e Silas (imaginar o sofrimento físico ao qual foram submetidos).
> Todavia, Deus lhes abriu as portas da prisão!

Transição
> Deus é poderoso para abrir as portas nos momentos mais difíceis e críticos da nossa existência, inclusive em momentos de ‘prisão’.
> O texto nos mostra alguns ensinamentos sobre a abertura das portas de Deus em nossas vidas.

I.) Deus abre portas quando oramos e adoramos a Deus, e testemunhamos, mesmo nas circunstâncias mais adversas – v. 25
> Elucidar a situação de Paulo e Silas. Eles haviam sido açoitados, presos no cárcere interior, os pés presos a um tronco.
> Não reclamaram, não murmuraram, não se acusaram mutuamente, não se ‘revoltaram’ contra Deus, já que foram presos fazendo a Sua obra.
> “Por volta da meia noite”, ou seja, no momento de intensas trevas, eles oravam e adoravam! E esta atitude deles servia de testemunho aos outros presos que se encontravam naquele cárcere.
> A atitude deles foi determinante para que Deus lhes abrisse as portas da prisão.
> Qual tem sido nossa reação quando passamos por momentos de prisão em nossas vidas? Reclamamos, murmuramos, arrumamos um culpado? Nos ‘revoltamos’ contra Deus? Ou oramos e adoramos, dando assim um bom testemunho aos que nos cercam?

II.) Deus abre portas para que livremos da morte aqueles que estão prestes a se perder – v. 27-29
> Em seu desespero o carcereiro estava prestes a tirar a própria vida. Paulo percebe a situação e exorta-o a não fazer tal coisa.
> Deus nos abrirá portas, ou já nos tem aberto portas, para que sejamos seus instrumentos para livrar pessoas da morte, seja literal, seja espiritual, familiar, etc.
> Uma palavra, um olhar, um pequeno gesto podem fazer a diferença na vida de alguém em desespero.
> Deus abrirá portas em nossas vidas, ou já nos tem aberto portas, para que possamos trazer equilíbrio para alguém em desespero.
> Ler Pv 24.11,12.
> Temos nos colocado como instrumentos do Senhor para livrar aqueles que estão sendo levados para a morte?

III.) Deus abre portas para que anunciemos a Palavra de Deus àqueles que ainda não conhecem a salvação que há em Cristo Jesus – v. 30-34
> Paulo e Silas anunciaram a mensagem de salvação para o carcereiro.
> Deus nos abrirá portas, ou já nos tem aberto portas que nos trarão oportunidades para pregar o evangelho àqueles que o precisam ouvir. Devemos estar atentos às oportunidades de falar do amor de Cristo.
> Não podemos falar de Cristo a todas as pessoas, mas talvez somente nós teremos acesso de falar às pessoas com as quais estamos convivendo em nosso trabalho, escola, vizinhança, etc. Devemos nos entender como missionários no lugar onde Deus nos colocou, naquela porta que Ele nos abriu ou abrirá. Devemos usar nossa atividade profissional como um instrumento para alcançar vidas com o evangelho.
> Deus pode nos levar a pregar o evangelho para pessoas que nos prejudicaram! Paulo e Silas haviam sido colocados no cárcere interior pelo carcereiro, mas não deixaram de lhe anunciar a Cristo quando tiveram a oportunidade! Jonas tentou fugir e não pregar aos ninivitas, que eram grandes inimigos dos judeus. Não queria ver os seus inimigos salvos! E se Deus o levar a pregar a alguém que lhe prejudicou? Você obedeceria? Imitaria a Paulo ou a Jonas?
> Devemos buscar alcançar toda a família daquele a quem estamos evangelizando. Paulo e Silas alcançaram toda a família do carcereiro.
> Devemos levar os que evangelizamos à integração, pelo batismo (v. 33) e à comunhão (v. 34).
> Temos aproveitado as portas que Deus tem nos aberto para falar do amor de Cristo?

IV.) Deus abre portas para nos honrar diante daqueles que nos negaram direitos e nos humilharam e prenderam injustamente – v. 35-40
> Por serem cidadãos romanos, Paulo e Silas tiveram os seus direitos negados. Foram humilhados publicamente através dos açoites e presos injustamente, sem ter havido um processo formal contra eles.
> Depois as autoridades romanas quiseram soltá-los, mas eles não aceitaram serem soltos sem que houvesse desculpas formais.
> Certas atitudes de outras pessoas podem ferir nossos direitos, nos humilhar publicamente e até nos ‘prender’ por determinados períodos a uma situação de desemprego, baixa autoestima, mágoa, ressentimento, etc, embora não devamos dar lugar a estes sentimentos negativos.
> Deus abre portas para nos honrar. Abriu as portas do cárcere de Paulo e Silas para honrá-los diante das autoridades romanas que os tinham injustiçado. Todavia, quando Deus nos honrar não significa necessariamente a aniquilação daqueles que nos prejudicaram.
> A vingança não pertence a nós, pertence ao Senhor (Rm 12.19). Ele sabe a maneira e a dose certa de tratar a cada um. Se nós fossemos nos vingar a nós mesmos, erraríamos na maneira e na dose. Deixemos isso nas mãos de Deus.

Pr. Ronaldo Guedes Beserra – SP, 12 e 15.03.2016

Publicado em Esboços de Sermões - Série Portas Abertas, Esboços de Sermões - Sermões Expositivos | Marcado com , , , , , , , | 2 Comentários

Carta à Igreja de Laodicéia – Série Igrejas do Apocalipse (Parte 8)

ESCATOLOGIA - APOCALIPSE - Carta á Igreja de LAODICÉIA - LOGOTexto: Apocalipse 3.14-22

Introdução
> A cidade de Laodicéia era um centro bancário e industrial de destaque. Um terremoto a danificou em 60-61 d.C., mas foi capaz de financiar a reconstrução com seus próprios recursos!
> Cada uma das sete igrejas destacadas nos capítulos 2 e 3 de apocalipse, provavelmente representam um período da história da igreja:
– Éfeso – Fim da idade apostólica;
– Esmirna – Os primeiros séculos de perseguição;
– Pérgamo – A época de Constantino, prosperidade temporal;
– Tiatira – A época da apostasia papal;
– Sardes – A idade média;
– Filadélfia – O período da Reforma, época de Lutero;
– Laodicéia – Os últimos dias.

Transição
> Deus quer e nós também devemos desejar experimentar um avivamento urgente e eficaz.
> O texto nos mostra alguns ensinamentos que devemos aprender para experimentar um avivamento urgente e eficaz.

I.) Pecados a Serem Vencidos e Evitados

1.) Indiferença Espiritual – v. 15,16
> “Conheço as tuas obras …” Ele conhece tudo; podemos nos esconder dos homens, mas não de Deus! “Os olhos do Senhor estão em todo lugar …” (Pv. 15.3).
> “… nem és frio nem quente …” A falta de compromisso, a indiferença e a apatia complacente da igreja são piores que a hostilidade aberta contra o evangelho.
> Jesus disse que quem não renunciar a tudo, a todos e a si mesmo (vontades carnais, velha natureza, ego) não pode ser seu discípulo (Lc 14.26,27,33).
> Muitos hoje acham que ao irem à igreja, ao fazerem algo na obra de Deus, estão “quebrando o galho de Deus”. Deus não precisa de nós! Nós é que precisamos dEle!

2.) Orgulho Espiritual – v. 17
> Exemplificar com Lucas 18.9-14 – Parábola do fariseu e do publicano.
> Temos que nos apropriar sim de nossa posição espiritual em Cristo (… somos mais do que vencedores por aquele que nos amou … tudo posso naquele que me fortalece … Ele nos transportou das trevas para o reino do Filho de seu amor … Ele nos deu vida juntamente com Cristo …), mas não devemos esquecer de que Ele é o Senhor e nós os servos!
> Talvez alguns líderes hoje, para serem coerentes com o que pregam, deveriam rasgar de suas Bíblias o texto do Salmo 40.17: “Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim …”
> Quanto mais perto nos aproximamos de Deus, mais a nossa pobreza espiritual fica evidente – “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus …” (Mt 5.3).

3.) Destronamento de Jesus como Senhor da Igreja – v. 20
> Jesus estava do lado de fora da igreja (este texto foi escrito a uma igreja)! Haviam tirado Jesus do centro.
> Jesus é a estrela, importa que Ele cresça e que nós diminuamos (Jo 3.30).

II.) Conseqüências dos Pecados

> “… estou a ponto de vomitar-te da minha boca …” (v. 16) – “Vocês estão me causando náuseas, repulsa!”
> “… nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu” (v. 17) – Infelicidade, miserabilidade, pobreza espiritual, cegueira espiritual e nudez espiritual.

III.) Conselhos de Jesus para a Mudança

1.) Comprar Ouro Refinado pelo Fogo para te Enriqueceres – v. 18
> Por serem pobres (v. 17), Cristo está exortando a igreja que procure as verdadeiras riquezas.
> Riquezas espirituais – Mt 6.19-21; 13.44-46 (Parábola tesouro escondido e pérola de grande valor).

2.) Comprar Vestiduras Brancas para te Vestires, a fim de que não seja Manifesta a Vergonha da tua Nudez – v. 18
> Cristo faz esta exortação por estarem nus (v. 17).
> O pecado traz dois tipos de sentimentos (impressões): a nudez ou de roupas esfarrapadas.
> Adão e Eva se sentiram nus ao pecarem!
> A igreja é exortada a cobrir sua nudez com vestimentas de pureza e santidade (vestiduras brancas).

3.) Comprar Colírio para Ungires os Olhos, a fim de que Vejas – v. 18
> Cristo faz esta exortação por estarem cegos (v. 17).
> Laodicéia era um centro médico e fabricava o “pó frígio”, usado para fazer colírio. Os médicos frígios talvez ajudassem as pessoas em sua cegueira física; mas somente Cristo pode curar os olhos dos que estão cegos espiritualmente!

4.) Ser Zeloso – v. 19
> Substituir a indiferença pelo zelo.
> “No zelo não sejais remissos …” (Rm 12.11).

5.) Arrependimento Genuíno – v. 19
> Arrependimento significa mudança de vida, mudança de direção!
> Que passos práticos posso dar em direção à mudança? O que devo começar a fazer? O que devo deixar de fazer?

6.) Ouvir a batida de Jesus à porta, ouvir a voz de Jesus, abrir a porta de nossa casa para Jesus – v. 20
> Se assim fizermos, o verdadeiro avivamento virá: “… cearei com ele e ele comigo” (v.20)
> “… hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o coração …” (Sl 95.7,8).

IV.) Recompensas Alcançadas Quando Seguimos os Conselhos de Jesus

> Ver Apocalipse 2.7, 11, 17, 26-28; 3.5, 12, 21.

Conclusão

> Nunca houve tanto apelo ao pecado; vivemos na época mais difícil da história; não podemos brincar; é tempo de buscarmos a Deus e de nos separarmos do mundo!
> “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (v. 22).

Pr. Ronaldo Guedes Beserra

Publicado em Esboços de Sermões - Série Igrejas do Apocalipse, Esboços de Sermões - Sermões Expositivos | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Carta à Igreja de Filadélfia – Série Igrejas do Apocalipse (Parte 7)

Filadelfia-630x210Texto: Ap 3.7-13

Introdução
> Era a mais jovem das sete igrejas da Ásia. O culto pagão principal era a Dionísio, mas o maior problema da igreja eram os judeus, e não tanto os pagãos.
> Filadélfia, em grego, significa “amor fraternal”.
> Destacar que Jesus é o Santo, o Verdadeiro, Aquele que tem a chave!
> Aplicação já: você precisa de uma porta aberta? Jesus tem a chave! Ele pode abrir portas de oportunidades e fechar aquelas portas que não são o melhor para nós!

I.) Virtudes da Igreja

1.) Tens pouca força – v. 8
> Aparentemente esta igreja era pequena e sem muita influência aparente. Contraste com Sardes (Ap 3.1).
> Ler 1 Co 1.26-29 e 2 Co 12.7-10.
> Deus nunca escolheu alguém que fosse cheio de si, confiante em si mesmo. Todos os escolhidos de Deus estavam absolutamente conscientes de suas limitações. Ex. Moisés (Sou pesado de língua); Gideão (Sou o menor); Isaías (Sou um homem de lábios impuros); Jeremias (Não passo de uma criança).
> Quando sinceramente estamos conscientes de nossas fraquezas humanas, então estamos no ponto certo para Deus nos usar!

2.) Guardaste a minha Palavra (Palavra de minha perseverança, paciência) – v. 8,10
> Pouco tempo antes, a igreja tinha passado por períodos de grandes dificuldades, provavelmente perseguida pelos judeus (ver v. 9), durante os quais tinha permanecido fiel ao seu Senhor.
> Foram perseverantes, pacientes e constantes em guardar a Palavra pura de Deus, mesmo em meio às pressões.
> O mundo, as mídias apelam para ter nossa audiência, nossa atenção. Algumas igrejas, entrando no mesmo ritmo, apelam para conquistar fieis, muitas vezes adulterando a Palavra e comprometendo a mensagem do evangelho! Ex. Rosa ungida, sal grosso, água do rio Jordão, óleo de determinado lugar, etc.

3.) Não negaste o meu nome – v. 8
> Talvez foram pressionados (pelos judeus) a negar o nome de Cristo, mas não o fizeram.
> Não devemos negar o nome de Cristo, nem por palavras e muito menos por atos, atitudes – Mt 10.32,33.

II.) Promessas à Igreja

1.) Porta aberta – v. 8
> Pode ser uma promessa de que a igreja tem entrada garantida no Reino de Deus, na Nova Jerusalém.
> A ideia de porta aberta aparece diversas vezes para indicar uma porta de oportunidade, principalmente para a pregação do evangelho – 1 Co 16.9; 2 Co 2.12; Cl 4.3; At 14.27.

2.) Honra diante dos adversários – v. 9
> Ler Salmo 23.5

3.) Livramento da tribulação – v. 10
> Parece uma promessa de que Ele os arrebatará antes do tempo da grande tribulação.
> Para alguns comentaristas, essa promessa não significa que os cristãos serão arrebatados, e sim protegidos durante esse período de angústia na terra. Ex.: Daniel na cova dos leões, os três amigos de Daniel na fornalha, o povo de Israel no Egito sendo poupado das pragas (Ex 8.22,23; 9.4; 11.6,7). Ver Isaías 43.2.

Conclusão
> “Venho sem demora” – é a ideia predominante em todo o livro
> “Conserva o que tens” – Em meio à perseguição, a igreja deve ficar firme em suas boas obras de fé e amor.
> Promessas ao vencedor:
– “fá-lo-ei coluna” – indica uma promessa do lugar (posição) que o vencedor terá no Reino de Deus eterno.
– “gravarei sobre ele o nome do meu Deus” – é um símbolo de posse.
– “gravarei sobre ele … o nome da cidade do meu Deus” – expressa a cidadania na Nova Jerusalém.
– “gravarei sobre ele … o meu novo nome” – Quando Cristo vier ele terá um nome escrito que ninguém sabe, a não ser ele mesmo (Ap 19.12).
> Exortação: “Quem tem ouvidos, ouça…”

Pr. Ronaldo Guedes Beserra, com ajuda de comentários bíblicos.

Publicado em Esboços de Sermões - Série Igrejas do Apocalipse, Esboços de Sermões - Sermões Expositivos | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Carta à Igreja de Sardes – Série Igrejas do Apocalipse (Parte 6)

saTexto: Ap 3.1-6

Introdução
> O que uma pessoa busca quando pensa em arrumar alguém para se casar, para passar o resto de sua vida? Quais características você procurou ou procura para encontrar alguém para ser seu companheiro (a)? Beleza, inteligência, sinceridade, amor, carinho? A Igreja é a noiva de Cristo. O que será que Cristo gostaria de ver em sua noiva? Como seria uma noiva, ou seja, uma Igreja segundo o coração de Deus?

> Sardes tinha sido a capital do reino da Lídia; nela se encontravam diversas estradas romanas grandes; era um importante centro industrial de produtos de lã e tinturaria.
> Celebravam o culto à deusa Cibele e o culto ao imperador
> A cidade era conhecida por sua maneira luxuosa e dissoluta; a carta não diz nada sobre hostilidade dos judeus, perseguição pública ou ensino herético; problema principal da igreja: profunda apatia espiritual.

> v. 1 – “os sete espíritos de Deus” – É uma alusão à plenitude do Espírito Santo, como em 1.4
> “sete estrelas” – Ap 1.16,20 – são os anjos (líderes) das sete igrejas

Transição
> Deus busca Igrejas segundo o Seu coração.
> A partir dos erros e acertos da Igreja de Sardes e da mensagem de Jesus a ela, podemos extrair algumas características de uma Igreja segundo o coração de Deus.

I.) Uma Igreja segundo o coração de Deus deve ter conteúdo, essência e não somente forma – v. 1 b
> Tinha nome de que vive, mas estava morta. Este é o quadro do cristianismo nominal, próspero externamente, ocupado com as coisas externas da atividade religiosa, mas sem vida e poder espiritual.
>Ex. do bolo de chocolate muito bonito por fora, mas ruim em seu sabor ou essência.
> Ler e comentar Os 6.6; 1 Sm 15.22
> “Exteriormente parecia viva e ativa, tinha uma reputação de sucesso e espiritualidade. É possível que tivesse uma forma impressionante de adoração, mas não o verdadeiro poder e retidão no Espírito Santo. Jesus, no entanto, via os seus corações” (Bíblia de Estudo Pentecostal).
> As aparências enganam! Jesus não vê como o homem vê. Nós julgamos a partir de coisas exteriores (quantidade, riqueza, etc), Jesus julga a partir do interior, do coração!

II.) Uma Igreja segundo o coração de Deus deve ser vigilante – v. 2 a
> “consolida o resto que estava para morrer” – Esta advertência implica também em que a Igreja não estava totalmente sem esperança. Ainda não era tarde para acordar da letargia espiritual; ainda havia um restinho de vida que podia ser avivado. Se o avivamento não viesse também este pequeno remanescente seria vítima da morte espiritual.
> Exercício da vigilância: (1) em relação à segunda vinda de Cristo (Mt 25.13; 1 Ts 5.5,6); e (2) contra o pecado e a tentação (Mt 26.41; 1 Co 10.12,13; 1 Pe 5.8).

III.) Uma Igreja segundo o coração de Deus deve apresentar obras íntegras – v. 2 b
> Aos olhos de Deus todas estas atividades religiosas eram um fracasso porque eram somente formais e externas e não inspiradas pelo Espírito Santo que dá a vida. Temos aqui um exemplo perfeito de cristianismo puramente nominal, que se destaca em todos os aspectos externos e formais, mas aos olhos de Deus é um fracasso completo.
> Por que suas obras não eram íntegras? Algumas possibilidades: (1) Talvez porque eram formais, externas, não feitas de todo o coração; (2) Talvez porque ao fazê-las procuravam receber o louvor dos homens – Mt 6.5,6,16-18; (3) Talvez porque houvesse ânimo dobre no serviço – 2 Cr 25.2; Jr 3.10

IV.) Uma Igreja segundo o coração de Deus deve conservar sua devoção inicial – v. 3 a
> “Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, guarda-o e arrepende-te”.
> Lembrar da Igreja de Éfeso – Ap 2.4,5
> Ver o resultado da falta de arrependimento – v. 3 b
> Neste contexto, a advertência se encaixa melhor em algum acontecimento histórico, quando o Senhor trouxer uma experiência inesperada sobre uma igreja letárgica, à guisa de julgamento divino.

V.) Uma Igreja segundo o coração de Deus deve ter suas vestiduras sempre incontaminadas – v. 4
> Devemos manter a santidade (santificação), separação, consagração, mesmo em meio a um mundo completamente corrupto.
> Está muito fácil hoje em dia sujar as vestes espirituais – Cuidado!
> “Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e jamais falte o óleo sobre a tua cabeça” (Ec 9.8).

Conclusão
> Vale a pena ser fiel, contemple aquele dia!
> Promessas ao vencedor: (1) “será assim vestido de vestiduras brancas”; (2) “de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida”; (3) “confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos” – v. 5.
> Exortação: “Quem tem ouvidos, ouça” – v. 6.

Pr. Ronaldo Guedes Beserra, com ajuda do comentário de George Ladd – SP, 12.03.2003.

Publicado em Esboços de Sermões - Série Igrejas do Apocalipse, Esboços de Sermões - Sermões Expositivos | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Carta à Igreja de Tiatira – Série Igrejas do Apocalipse (Parte 5)

destinatário da igreja de tiatira ebd adulto lição 6 2º trimestre de 2012Texto: Ap 2.18-29

Introdução
> Tiatira possuía um grande destacamento militar, indústrias de lã e tintas, e várias associações comerciais
> v. 18 – Ver Ap 1.14,15
> Seus olhos penetram a tudo e a todos, nada está oculto às suas vistas, sejam pecados não confessados, maquinações ocultas, etc. (Ler Pv 15.3).

I.) Qualidades da Igreja de Tiatira – v. 19

1.) Amor
> Esta igreja se destacava pelo seu amor (Ler 1 Co 13.4-8)
> Esse amor gerava serviço, descrito a seguir

2.)
> Possivelmente tenha haver com fidelidade em não negar a fé em Cristo
> Essa fé gerava a perseverança e obras, também descritas a seguir

3.) Serviço
> Servir às pessoas em suas necessidades (não em seus caprichos), quando temos oportunidade.
> Servir na obra de Deus, através do uso de dons e ministérios, com zelo e responsabilidade.
> O nossa disposição de servir talvez seja o melhor termômetro de nosso amor. Ou seja, o amor é demonstrado na prática por nossa disposição de servir

4.) Perseverança
> Paciência; Persistência; Firmeza, consistência em amar, em testemunhar, em servir
> Ler Hb 6.11,12

5.) Crescimento em obras
> Sabemos que a salvação não é pelas obras, mas sim pela graça de Deus, mediante a fé (Ef 2.8,9). No entanto, a fé sem obras é morta (Tg 2.26).
> Devemos também crescer em boas obras
> Obras não se refere apenas a ações de caridade; se refere a bom testemunho, amor, virtudes cristãs em geral, trabalho, serviço, etc.

II.) Erro da Igreja de Tiatira – v. 20-25

> O erro desta igreja foi o de tolerar Jezabel, tolerar o pecado, tolerar ensinos errados, tolerar a prostituição e alguma forma de idolatria.
> Jezabel (esposa do Rei Acabe no AT) representa a idolatria, pois instituiu o culto a Baal em Israel, e a perseguição aos santos, pois exterminou profetas do Senhor (1 Rs 18.4)
> Esta falsa profetiza provavelmente não se chamava literalmente Jezabel, mas foi assim chamada por se assemelhar às práticas erradas da Jezabel do AT; ou talvez seja apenas uma designação simbólica das práticas pecaminosas de membros daquela igreja sob domínio do “espírito de Jezabel”.
> Esta cartas às igrejas do Apocalipse falam fortemente contra a imoralidade sexual e a idolatria, usando designações como “doutrina de Balaão”, “doutrina dos nicolaítas” e uma espécie de “doutrina de Jezabel”
> “Alguns, na igreja, costumam tolerar tais falsos ensinos, por indiferença, medo de confronto, amizade pessoal ou pelo desejo de paz, harmonia, autopromoção ou dinheiro” (B. E. Pentecostal).

> O sexo é uma benção de Deus, para ser desfrutada no casamento, nem antes e nem fora dele!
> Sexo antes ou fora do casamento traz grandes problemas, inclusive de ordem emocional, fere muita gente, destrói famílias e pode trazer doenças físicas.
> “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia” (1 Co 10.12).
> Deus proíbe a imoralidade sexual para o nosso próprio bem, porque nos ama. Devemos ir contra a cultura de nossa época nesse quesito.

> Além da imoralidade sexual, Deus condena a idolatria.
> Ídolo não é apenas um “santo” de madeira, pedra ou metal. Ídolo é tudo aquilo que toma o lugar de Deus em nossa vida: dinheiro, trabalho, objetivos, carreira, entretenimento, esporte, atleta, pai, mãe, filho, namorado, TV, internet, mídias em geral, casa, carro, etc.
> Como está nossa vida de pureza diante de Deus? Existe algo que tem tomado o lugar de Deus em nossa vida?

> Contraste com a Igreja de Éfeso onde provaram os falsos apóstolos e mestres, mas perderam o primeiro amor; Em Tiatira estavam crescendo em amor, mas não trataram, se recusaram a lidar com esta falsa profetiza, com este falso ensino. Devemos buscar o equilíbrio: nem perder o amor, nem tolerar aqueles que colocam a obra de Deus em prejuízo.

> v. 21 – Deus dá tempo para arrependimento, por Sua graça e paciência. O pecado sempre trará tristes consequências, mas ainda há tempo para arrependimento e mudança. Ver v. 22 b
> Quando não há arrependimento, as consequências podem ser ainda mais graves – ver v. 21,22
> Deus age dessa forma com um propósito – ver v. 23
> Aquele que tem olhos como chama de fogo (v. 18) é Aquele que sonda mentes e corações (v. 23).

> v. 24 – Houve em Tiatira os que ficaram firmes na Palavra de Cristo e seus padrões de justiça, seus valores. Jesus lhe consola dizendo que “Outra carga não jogarei sobre vós” e os exorta: “conservai o que tendes, até que eu venha” (v. 25).

Conclusão

> Promessas:
– v. 26,27 – Os santos governarão as nações junto com Cristo, durante o Milênio (Ap 20.4,6). O vencedor recebe a promessa de que participará das funções do próprio Messias – ver Sl 2.9; Ap 12.5; 19.15
– v. 28 – Em Ap 22.16, o próprio Cristo é a brilhante Estrela da Manhã. O próprio Cristo será dado ao vencedor.

> Exortação:
– v. 29 – “Quem tem ouvidos, ouça …”

Pr. Ronaldo Guedes Beserra – SP, 05.03.2003; atualizado em 06.02.2016.

Publicado em Esboços de Sermões - Série Igrejas do Apocalipse, Esboços de Sermões - Sermões Expositivos | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário