Homilética

APOSTILA BÁSICA DE HOMILÉTICA

1.) SERMÃO TEMÁTICO

É aquele cujas divisões principais derivam do tema, independentemente do texto.

O sermão temático tem início com um tema ou tópico, e suas partes principais consistem em idéias derivadas desse assunto.

O sermão temático não requer um texto como base de sua mensagem. Isso não significa que a mensagem não seja bíblica, mas apenas que a fonte do sermão temático não é um texto bíblico.

Para termos a certeza de que o conteúdo da mensagem será totalmente bíblico, devemos principiar com um assunto ou tópico tirado da Bíblia.

Cada divisão principal deve apoiar-se numa referência bíblica.

Exemplos de Sermões Temáticos:

Razões para a oração não respondida

I.) Pedir mal – Tg 4.3

II.) Pecado no coração – Sl 66.18

III.) Duvidar da Palavra de Deus – Tg 1.6,7

IV.) Vãs repetições – Mt 6.7

V.) Desobediência à Palavra – Pv 28.9

VI.) Procedimento irrefletido na relações conjugais – 1 Pe 3.7

Fatos bíblicos a respeito de Satanás

I.) Sua origem – Ez 28.12-17

II.) Sua queda – Is 14.12-15

III.) Seu poder – Ef 6.11,12; Lc 11.14-18

IV.) Suas atividades – 2 Co 4.4; Lc 8.12; 1 Ts 2.18

V.) Seu destino – Mt 25.41

Exercícios:

Faça esboços de Sermões Temáticos a partir dos seguintes temas:

> Conceitos bíblicos para criação de filhos.

> As conseqüências da falta de perdão.

> Resultados da incredulidade.

> Os imperativos de Cristo.

> Características de um líder eficaz.

2.) SERMÃO TEXTUAL

É aquele em que as divisões principais são derivadas de um texto constituído de uma breve porção da Bíblia. Cada uma dessas divisões é usada como uma linha de sugestão, e o texto fornece o tema do sermão.

As divisões principais do esboço textual devem provir do próprio texto, mas o desenvolvimento pode proceder ou do texto ou de outras porções bíblicas.

Em contraste com o sermão temático, no qual começamos com um tópico ou tema, agora iniciamos com um texto, que indicará a idéia dominante da mensagem.

Exemplos de Sermões Textuais:

Texto: Jo 3.16

Tema: As características distintivas da dádiva de Deus.

I.) É uma dádiva de amor – “Porque Deus amou o mundo de tal maneira”

II.) É uma dádiva sacrificial – “Que deu seu filho unigênito”

III.) É uma dádiva eterna – “Não pereça, mas tenha a vida eterna”

IV.) É uma dádiva universal – “Todo o”

V.) É uma dádiva condicional – “Que crê”

Texto: 1 Cr 28.9

Tema: Exigências para recebermos as bênçãos do Senhor.

I.) Conheça a Deus

II.) Sirva a Deus

1. Como? De coração íntegro e alma voluntária.

2. Por que? Pois Ele esquadrinha todos os corações e penetra todos os

desígnios do pensamento.

III.) Busque a Deus

1. De todo coração e de toda tua alma – Dt 4.29; Jr 29.13

2. Continuamente – Sl 105.4

3. Com urgência – Is 55.6

4. Com insistência – Lc 11.10

Exercícios:

Faça esboços de Sermões Textuais a partir dos seguintes textos:

> 1 Timóteo 1.5

> Salmo 24.3-5

> Hebreus 12.1-3

> Deuteronômio 10.12

> Josué 22.5

> Romanos 12.1,2

> Hebreus 10.22

3.) SERMÃO EXPOSITIVO

É aquele em que uma porção mais ou menos extensa da Escritura é interpretada em relação a um tema ou assunto.

A maior parte do material deste tipo de sermão provém diretamente da passagem, e o esboço consiste em uma série de idéias progressivas que giram em torno de uma idéia principal.

O grupo de versículos que formam a base do sermão expositivo pode ser chamado de “unidade expositiva”.

A unidade expositiva consiste em um número de versículos dos quais emerge uma idéia central. O sermão expositivo, como o temático e o textual, gira em torno de um tema.

Exemplos de Sermões Expositivos:

Texto: 1 Rs 19.1-18

Tema: As conseqüências do Desânimo

I.) O desânimo produz medo – v. 3

II.) O desânimo prejudica os que estão à nossa volta – v. 3

III.) O desânimo produz fuga, depressão, desilusão – v. 4-8

IV.) O desânimo produz insensibilidade – v. 9-14, 18

V.) O desânimo nos leva a enxergar as dificuldades maiores do que elas realmente são – v. 10, 14, 18

Texto: Ef 6.10-18

Tema: Aspectos relacionados com a guerra espiritual do crente

I.) A moral do crente – v. 10-14 a

1. Deve ser elevada – v. 10

2. Deve ser firme – v. 11-14 a

II.) A armadura do crente – v. 14-17

1. Deve ter caráter defensivo – v. 14-17 a

2. Deve também ter caráter ofensivo – v, 17 b

III.) A vida de oração do crente – v. 18

1. Deve ser persistente – v. 18

2. Deve ser intercessora – v. 18 b

Texto: Ef 6.10-18

Tema: Como vencer nosso adversário

I.) Tenha consciência da guerra espiritual – v. 10-12

II.) Use as armas defensivas – v. 13-17 a

III.) Use a arma ofensiva – v. 17 b

IV.) Vença através da oração – v. 18

Exercícios:

Faça esboços de Sermões Expositivos a partir dos seguintes textos: Js 1.1-9; 1 Sm 15.1-23; Mt 4.1-11; 18.21-35; Gn 3.1-21; 22.1-19; 39.20-40.23.

4.) PROPOSIÇÃO

É uma declaração simples do assunto que o pregador se propõe apresentar, desenvolver, provar ou explicar.

Em outras palavras, é uma afirmativa da principal lição espiritual ou da verdade eterna do sermão, reduzida a uma sentença declarativa.

Exemplos:

> A meditação diária nas Escrituras é vital para o crente.

> O Senhor deseja a adoração que procede do íntimo.

> Deus usa instrumentos escolhidos para preencher as necessidades de outros.

> Ninguém pode fugir às conseqüências de seu próprio pecado.

A proposição é a bússola que norteia a estrutura-conteúdo do sermão. A proposição é a afirmação controladora que fiscaliza e comanda a estrutura-conteúdo do sermão.

A proposição é composta de três elementos: Afirmação Teológica (AT), Sentença de Transição (ST) e Palavra Chave (PC).

Afirmação Teológica (AT) – É a verdade central que se pretende comunicar ou demonstrar a partir de um texto bíblico.

Sentença de Transição (ST) – É a conexão entre a Afirmação Teológica e as divisões do sermão.

Palavra Chave (PC) – É sempre um substantivo plural que vai determinar o enunciado das divisões.

Exemplo de Proposição em um esboço de sermão:

Texto: At 13.1-4

Proposição:

(AT) “A igreja local é o lugar ideal para Deus chamar missionários”

(ST) “O texto mostra 4 Atitudes (PC) da igreja local que facilitam a expansão da obra missionária”

I.) Uma abertura aos dons espirituais

II.) Adoração dinâmica

III.) Comunhão muito profunda

IV.) Colaboração entre o corpo

A proposição é o fundamento de toda a estrutura do sermão. A proposição indica claramente o rumo que o sermão deve tomar.

5.) DIVISÕES PRINCIPAIS

Divisões são as seções principais de um sermão ordenado. Um sermão corretamente planejado será dividido em partes distintas que contribuirão para a sua unidade.

Dicas para atestar a qualidade das divisões:

> Possuem uma redação concisa e clara?

> São mutuamente exclusivas?

> São semelhantes em forma literária?

> Têm endereço (versículos que a apóiam)?

> Englobam o conteúdo do texto?

> São coerentes com a proposição?

6.) DISCUSSÃO

A Discussão (recheio do sermão) é o desdobramento das idéias contidas nas divisões. A discussão deve conter unidade, proporção, progressão, brevidade, clareza, vitalidade, variedade.

Fontes de material para Discussão:

> A Bíblia

> Outras formas de literatura

> Experiência

> Observação do mundo que nos cerca

> Imaginação

Dicas para a Discussão:

> Observação

> Exegese

> Estudo indutivo

> Interpretação

> Elucidação

> Correlação

> Ilustração

> Aplicação

7.) ILUSTRAÇÃO

Ilustração é o meio pelo qual se lança luz sobre um sermão através de um exemplo. É a representação de uma cena, ou a descrição de uma pessoa ou incidente, com o fim de iluminar o conteúdo de uma mensagem.

Pode ser uma parábola, uma analogia, uma alegoria, uma história (até mesmo engraçada), um relato de uma experiência pessoal, um acontecimento histórico, ou um incidente biográfico. Pode também ser inventada ou construída a partir da própria imaginação da pessoa.

8.) APLICAÇÃO

Aplicação é o processo retórico mediante o qual se aplica direta e pessoalmente a verdade ao indivíduo, a fim de persuadi-lo a reagir de modo favorável. Descubra os ensinamentos práticos e desafios que o texto contém. Você deverá trazer o texto para o presente se quiser ser relevante.

9.) TÍTULO DO SERMÃO

O título do sermão deve ser relacionado com o texto, bem enunciado (mas de forma breve), atraente, atual e claro.

10.) INTRODUÇÃO

Introdução é o processo pelo qual o pregador procura preparar a mente dos ouvintes e prender-lhes o interesse na mensagem que vai proclamar.

Quanto à Introdução:

> “Você não tem uma segunda chance para causar uma primeira boa impressão”.

> “A boa introdução é aquela que conduz o ouvinte à proposição”.

> “A introdução do sermão é a isca pela qual se desperta interesse no ouvinte”.

> “Na introdução você perde ou ganha o ouvinte”.

Técnicas de Introdução:

> Lance perguntas

> Estabeleça contrastes

> Conte uma história interessante ou emocionante.

> Destaque algo interessante na própria passagem.

> Mostre a praticidade (relevância) do tema a ser tratado.

> Dependa do Espírito Santo para ter criatividade.

11.) CONCLUSÃO

A conclusão é o clímax do sermão, na qual o objetivo constante do pregador atinge seu alvo em forma de uma impressão vigorosa.

Formas de Conclusão:

> Recapitulação

> Ilustração

> Aplicação ou Apelo

> Motivação

Quanto à Conclusão:

> “Concluir é fazer o laço após colocar o sapato”.

> “É o momento de relembrar e aplicar a Afirmação Teológica”.

> “É o momento de levar o povo a uma decisão”.

> “É a hora de colocar a última peça do quebra-cabeça; a peça que completa o quadro” (Stott).

> “Na conclusão é bom que você saiba ‘incluir’ o que já foi dito, e ‘excluir’ novas idéias”.

> “Sem uma boa conclusão nenhum sermão aterriza”.

8 respostas para Homilética

  1. Karen Benetton disse:

    Oi Pastor,

    Bem me lembro dessas aulas! Obrigada por ter me ensinado algo tão maravilhoso!

    Que Jesus esteja sempre te abençoando, onde quer que você esteja.

    Um grande abraço!

    Karen

  2. vasildo disse:

    Gostei dos sermões, pois vou buscar em DEUS mensagens através das referências de cada um. Que DEUS continue te abençoando e te iluminando na sua obra.

  3. vasildo disse:

    Gostei dos sermões, pois vou buscar em DEUS mensagens através das referências de cada um. Que DEUS continue te abençoando e te iluminando na sua obra.

  4. Flavio disse:

    Que benção! Deus te abençoe. Ótimo material. Necessitamos nos aperfeiçoar cada vez mais. Continue sendo instrumento nessa terra!

  5. Max disse:

    Que o Senhor possa vos derramar a cada dia essa sabedoria e disposição que vem da parte do Senhor Jesus.

  6. walter gasparino disse:

    DEUS te abençoe! Eu estava precisando muito deste ensinamento, agora simplificou para mim; continue com estes estudos, são muito edificantes para nós podermos ganhar almas para o reino celeste. No momento só posso agradecer, mas Deus vai te honrar, eu creio.

  7. Gabriel Xavier disse:

    Muito complementar; o ideal mesmo é fazer teologia. Mas o material esta muito bem esmiuçado e perfeitamente colocado… Foi benção na minha vida, Deus abençoe!

  8. Vanderlei O.S. disse:

    Muito boa, amado, sua aula de homilética e seus esboços; que Deus te ilumine, afim de que possa cada vez mais produzir sermões bíblicos e infalíveis como esses.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s