Soteriologia em Geral

O texto abaixo é um resumo baseado no livro “Teologia Sistemática” de Louis Berkhof, 2ª edição, 1992, p. 415-418.

O-homem-e-DeusI.) Relação entre Soteriologia e os Loci Anteriores
A soteriologia trata da comunicação das bênçãos da salvação ao pecador e seu restabelecimento ao favor divino e à vida de íntima comunhão com Deus. Desde que ela trata de restauração, redenção e renovação, só pode ser compreendida à luz da condição originária do homem, criado à imagem de Deus, e da subsequente perturbação da adequada relação entre o homem e o seu Deus, perturbação causada pela entrada do pecado no mundo. Visto tratar da salvação do pecador considerada totalmente como obra de Deus, conhecida dele desde a eternidade, ela transporta os nossos pensamentos retroativamente para o eterno conselho de paz e para a aliança da graça, em que foi feita a provisão para a redenção do homem decaído. A soteriologia parte da pressuposição da obra consumada de Cristo como o Mediador da redenção. Há a mais íntima relação possível entre a cristologia e a soteriologia.

II.) A Ordo Salutis (a Ordem da Salvação)
A ordo salutis descreve o processo pelo qual a obra de salvação, realizada em Cristo, é concretizada nos corações e vidas dos pecadores. Visa descrever, em sua ordem lógica e também em sua inter-relação, os vários movimentos do Espírito Santo na aplicação da obra de redenção. A ênfase não recai no que o homem faz, ao apropriar-se da graça de Deus, mas no que Deus faz, ao aplicá-la.
Quando falamos de uma ordo salutis, não nos esquecemos de que a ação de aplicar a graça de Deus ao pecador individual é um processo unitário, mas simplesmente ressaltamos o fato de que é possível distinguir vários movimentos no processo, que a obra de aplicação da redenção segue uma ordem definida e razoável, e que Deus não infunde a plenitude da Sua salvação ao pecador num ato único.
Pode-se levantar a questão sobre se a Bíblia alguma vez indica uma ordo salutis definida. Embora ela não nos dê explicitamente uma ordem da salvação completa, oferece-nos base suficiente para a referida ordem. A melhor aproximação a algo como uma ordo salutis na Escritura é Rm 8.29, 30. Conquanto a Bíblia não nos dê uma nítida ordo salutis, ela faz duas coisas que nos ajudam a elaborar uma ordem. (1) Dá-nos uma completa e rica enumeração das operações do Espírito Santo na aplicação da obra realizada por Cristo e das bênçãos da salvação. Nem sempre usa os termos empregados na dogmática, mas emprega termos que vieram a adquirir sentido técnico muito definido na dogmática. Palavras como regeneração, vocação, conversão e renovação servem para designar toda a transformação que se opera na vida interior do homem. (2) Ela indica a relação que os diferentes movimentos atuantes na obra de redenção mantêm uns com os outros. Ela ensina que somos justificados pela fé, e não pelas obras, Rm 3.30; 5.1; Gl 2.16-20; que, sendo justificados, temos paz com Deus e acesso a ele, Rm 5.1, 2; que ficamos livres do pecado para tornar-nos servos da justiça, e para colhermos o fruto da santificação, Rm 6.18, 22; que, quando somos adotados como filhos, recebemos o Espírito, que nos dá segurança, e também nos tornamos co-herdeiros com Cristo, Rm 8.15-17; Gl 4.4-6; que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus, Rm 10.17; que a morte para a lei redunda em vida para Deus, Gl 2.19, 20; que, quando cremos, somos selados com o Espírito de Deus, Ef 1.13, 14; que é necessário andar de modo digno da vocação com que somos chamados, Ef 4.1, 2; que, tendo obtido a justiça de Deus pela fé, participamos dos sofrimentos de Cristo, também do poder da ressurreição, Fp 3.9, 10; e que somos gerados de novo mediante a Palavra de Deus, 1 Pe 1.23. Estas passagens indicam a relação dos vários movimentos da obra redentora, uns com os outros, e, assim, dão base para a elaboração de uma ordo salutis.
Há amplo espaço para diferenças de opinião. As igrejas não estão todas de acordo quanto à ordo salutis. A doutrina da ordem da salvação é fruto da Reforma. Dificilmente se achará nas obras dos escolásticos algo que se lhe assemelhe. Na teologia da Pré-Reforma pouca justiça é feita à soteriologia. Ela não constitui um assunto separado. Desde que o protestantismo teve como ponto de partida a crítica e a remoção do conceito católico romano de fé, arrependimento e boas obras, era natural que o interesse dos Reformadores se centralizasse na origem e desenvolvimento da nova vida em Cristo. Calvino foi o primeiro a agrupar as várias partes da ordem da salvação de maneira sistemática, mas mesmo a sua formulação, diz Kuyper, é um tanto subjetiva, visto que salienta formalmente a atividade humana, e não a divina. Posteriormente, os teólogos reformados (calvinistas) corrigiram este defeito.

Sobre Cristianismo Total

Cristianismo Total é um blog evangélico que tem como objetivo difundir a fé Cristã, que é a mensagem através da qual o Deus Eterno se revelou à humanidade.
Esse post foi publicado em Soteriologia, Teologia e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s